Conheça 2 tipos de emails fraudulentos e aprenda a se proteger

Por | 26/02/2015

Tarefa difícil é atacar dados de servidores de instituições bancárias e comerciais. Apenas hackers muito habilidosos são capazes de praticar tal feito.

Então, como os embusteiros não sossegam, a corrente acaba arrebentando no elo mais fraco, isto é, no usuário comum, como eu e você.

O foco muda, mas o objetivo continua o mesmo: roubar dados bancários e realizar fraudes comerciais.

Os fraudadores usam diversos tipos de emails para tentar persuadir o usuário a fornecer dados pessoais e financeiros.

Em outras situações, as vítimas são induzidas a instalar algum programa malicioso, como vírus, malware, phishing ou códigos programados para roubar informações sigilosas, como senhas bancárias e números de cartão de crédito.

Portanto, é fundamental que o internauta tome cuidado ao abrir seus emails.

Tipos de emails fraudulentos mais comuns

Veja alguns tipos de emails de golpe mais conhecidos:

Scams (golpe)

Muito conhecidos como “Golpe Nigeriano“, esse tipo de fraude caracteriza-se pela dissimulação de mensagens longas, contando histórias mirabolantes e pedindo que a vítima envie determinada quantia de dinheiro em troca de altas recompensas assim que o suposto objetivo contado na história tiver sido atingido.

Essas mensagens não poupam esforços para chamar a atenção dos usuários, expondo valores astronômicas e TEXTO SEMPRE EM MAIÚSCULA, como se estivesse “gritando”. Títulos como “URGENT” (urgente) e “CONFIDENTIAL” (confidencial) são comumente usadas nesses emails.

A solução é simples: ignore. E se mesmo assim se sentir tentado, você deve apenas se perguntar porque, logo você, foi o escolhido para “ganhar milhões de reais”, assim, do nada.

Phishing

Este termo foi criado para descrever um tipo de fraude composta pelo envio de mensagens não solicitadas. Caracterizam-se especialmente por se passar por uma instituição conhecida, como bancos, empresas ou site popular.

O objetivo desse email farsante é induzir a vítima a acessar páginas fraudulentas, que são idênticas as páginas verdadeiras da instituição plagiada, com a diferença que estas foram projetadas unicamente para furtar dados pessoas, principalmente, financeiros.

A palavra “phishing” significa exatamente isso: usar iscas (páginas falsas) para pescar dados dos usuários de internet.

Como se proteger?

Algumas dicas para identificar esse tipo de email:

  • Leia a mensagem com atenção, ela poderá conter erros gramaticais e de ortografia.
  • Os golpistas “mascaram” o link malicioso com palavras relacionadas à instituição. Para se proteger dessa farsa, apenas passe o mouse por cima do link e veja, através do seu gerenciador de mail, o endereço verdadeiro do link. Se o link for diferente do que é apresentado na mensagem, caia fora.
  • Extensões são usadas nos nomes ou palavras falsas. Fique atento a extensões do tipo “.exe“, “.zip“, “.scr“, “.rar” e “.dll“, essas são as mais usadas e também as mais perigosas, pois instalam o vírus instantaneamente.
  • Fique alerta às mensagens que pedem a instalação de programas, atualização ou execução de softwares.
  • Outra dica é buscar informações relacionadas na página da instituição que supostamente mandou o email. Hoje em dia, raramente uma empresa manda emails para usuários que não tenham ligação alguma com ela, muito menos enviando arquivos em anexo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.